Compartilhe
Ir em baixo
Miroku-sama
Miroku-sama
Stalker
Stalker
Masculino Áries
Número de Mensagens : 5
Reputação : 0
Idade : 30
Data de inscrição : 25/12/2009
Localização : BH city

CDZ - FA version^^ Empty CDZ - FA version^^

em Ter Dez 29 2009, 19:20
Sei que não tem muita lógica postar uma fic que fiz para users de outro fórum, onde constam os nicks deles em um enredo CDZdiano, mas acabou me dando vontade de compartilhar... Mesmo porque estou devendo uns capítulos para eles, aí postando em outros lugares posso ter noção de onde melhorar e ficar mais animado... (ou não XD XD XD)

Caminhos distintos...


Órfãos... Crianças privadas do amor de seus genitores, isso se tornou algo cada vez mais comum depois dos longos períodos de guerras, crescimento do número de homicídios e devido à total falta de noção de pais irresponsáveis. E é nesse contexto que entram em cena nosso pequenos queridinhos, adotados por um milionário com sérios problemas psicológicos, que via nesse futuros “filhos” uma forma de conseguir possíveis escravos, para satisfazer todas as suas vontades.

Provavelmente ia colocar os garotos para exercer algum trabalho braçal e as meninas para exercer as tarefas de casa e distraí-lo em seus muitos momentos de carência afetiva. Sim, ele era uma espécie de velho inconseqüente e altamente pervertido. Mas antes que seu magnífico sonho se tornasse realidade, por sorte os jovens, se safaram da presença daquela criatura velha e aproveitadora, depois da morte repentina do mesmo devido há problema de saúde qualquer. Mas estavam ainda subordinados à seu mordomo, uma criatura bastante estranha e inconveniente que, por ser totalmente leal ao seu antigo mestre, iria cuidar dos pequenos, garantindo um terreno favorável para a herdeira do senhor, sua única filha legítima, por incrível que pareça... Ou a única que foi comprovada, pode ser isso também... O que importa é que ela seria a pessoa a herdar o tão sonhado objetivo do pai e decidir o futuro dos seus futuros subordinados.

- Para se tornarem funcionários à altura da jovem Sakura, terão que passar por algumas provas...

Isaías olhava com um olhar de desprezo e total repulsa aos doze jovens que estavam presentes na sala central da grande mansão dos Ibari, família do senhor avô de Sakura. Ele era homem bem alto, que beirava os 50 anos, de pele escura e com a cara quase desaparecendo em meio à barba gigantesca que possuía. Era uma figura única, que se destacava bastante, considerando que estavam no Japão.

Todos estavam curiosos à respeito do que aquele maluco estava tratando. Mas uma coisa sabiam, não devia ser coisa boa, já que vinha da cabeça daquele árabe estranho, e que provavelmente era ordem do falecido ancião pervetido.

- Tenho aqui em minha mão uma sacola devidamente fechada, onde estão alguns papeizinhos cuidadosamente dobrados e com medidas exatamente iguais, fruto do meu zelo e...

O tédio crescia na expressão de todos, Isaías começava mais um de seus discursos sobre como era um profissional exemplar, e eles costumavam demorar longos minutos. Mas quando percebeu que alguns garotos estavam prestes a fugir, logo aumentou o tom de voz.

- AH DISGRAMA! Façam logo uma fila e peguem cada um papel, ele vai indicar onde cada um de vocês vai exercer seu treinamento! Vão ser enviados em duplas, amanhã mesmo.

Os jovens se entreolharam com total estranhamento, aquele maluco com certeza havia pirado. Decidira parar de explorá-los e enfim matá-los, talvez aquilo fosse um motivo de alívio... Para alguns, quem sabe.

Depois de um tempo de intensos reclamações, trocas de olhares e choro por parte de alguns, acabaram fazendo a tão esperada "fila indiana" e se dirigindo ao árabe para pegar cada um o papel, que indicaria o destino de sua tortura.

Depois de alguns segundos, cada um já havia pegado seu bilhete e ao lerem começaram as primeiras manifestações.

Guilhermin : - AEWS, eu fico no Japão mesmo XD XD XD. Só espero que a Miaka também tire o mesmo local...

Guilhermin estava totalmente tenso, olhando para sua amada, que ficou imóvel por alguns segundos, não esboçando a mínima reação.

Guilhermin: - Eiii, Miaka...

Em alguns segundos a expressão ausente da garota havia mudado para um choro extremo e ela pulou no garoto quase derrubando-o.

Miaka: - NOOOOOOOOOOOOOO!!! Eu vou para Portugal, o que vamos fazer?!!! Vida CRUEEEEEEEEEL!!!

Miaka balançava o corpo de Guilherme com uma força assustadora, não seria surpresa alguma se ele acabasse perdendo a consciência ou algo do tipo. Ou mesmo se alguma parte do seu corpo soltasse, por alguma eventualidade.

Enquanto isso Kiri soltava um suspiro de total alívio. E dizia algumas palavras em tom quase imperceptível.

Kiri:- Ufa, pelo menos minha dupla será alguém "normal"^^

Mateus estava animado também. Ficou bastante aliviado ao perceber que não iria ser enviado pra nenhum fim de mundo, isso o deixava feliz. Ele se aproximava de Gulhermin, e tentava animar Miaka, dizendo coisas como “vou tomar conta dele” ou algo do tipo, o que não conseguia fazer com que a garota parasse seu ataque histérico, apenas fez com que Mateus também se tornasse uma vítima.

Kamui estava de olhos fechados, em uma concentração impressionante... Ele resmungava em voz baixa algumas palavras, apenas perceptíveis para os mais próximos, mais que foi o bastante para deixar sua irmã, Ashia, com uma expressão de total fúria interior e vontade de esganá-lo.

Kamui: - Ashia não, Kira sim, Ashia não, Kira sim...

Parecia uma espécie de ritual, que aos poucos ia sendo acompanhado de alguns movimentos de quadril, parecendo uma dança estranha, que ficava cada vez mais perceptível para todos os presentes na sala. Mas ele não tinha noção da cena que estava realizando e viajava em pensamentos à respeito da concretização de seu desejo e dava algumas risadinhas.

Kamui: - Hihihi, logo estaremos sozinhos Kira, logo estare...

Kamui ficou branco ao dar de cara com o que estava escrito no papel da sua amada. Ela, animada como sempre, havia aberto o papel antes de qualquer outro, e ao conseguir aproximar-se dele, quase esfregava o papel em seu rosto, esperando uma aprovação.

Kamui não concebia aquilo deveria ter algo errado. Estava totalmente desesperado e começava a transpirar em excesso e a perder a fala.

*Não pode ser, a Kira vai para a China, eu vou para o México... Dever ter algum erro, mesmo porque, esses locais não sem NEM UM POUCO PRÓXIMOS!!!...*

Kira: - Então amor?^^

Depois de alguns segundos Kamui em um ataque medonho começou a correr por toda a sala em um movimento caótico e insano, dando centenas de voltas sem parar.

Kamui: - PORQUEEEEEEEEEEEEEEEEE?!!!

Enquanto ele continuava com sua cena, todos, exceto os atacados pela Miaka, olharam para o papel que ele havia jogado para o alto, e que agora estava no chão. E depois de alguns momentos, outro ataque foi percebido...

Rael: - Isso só pode ser brincadeira...

O garoto assumia uma aparência assustadora e olhava fixamente, com um olhar ofensivo para seu supremo rival. Uma disputa eterna existia entre os dois e ocorria em qualquer situação, principalmente na luta insana por salgadinhos recém preparados.

Kamui, quando percebeu a aura macabra do colega parou seu movimento aleatório imediatamente e respondeu o olhar, e ficaram assim por longos minutos, encarando-se em uma disputa interminável, onde provavelmente nunca conseguiriam decidir um vencedor.

Kira: - Ele saiu com o Rael... Esse deve ser o poder da amizade XD

Muitos olharam para a garota com certa desconfiança, não era possível que alguém podia dizer algo como aquilo se tratando daqueles dois. Apenas Kira tinha esse poder de achar pontos positivos em qualquer coisa, mesmo que fosse a pior possível. Quando conseguiu tirar o olhar dos dois duelistas, e voltou-o para Ashia, percebeu que a garota em estado de fúria tinha seu bilhete à vista. E após ler a inscrição, segundos depois já estava encima da menina raivosa, dando-lhe um abraço assustadoramente feliz.

Mizuki: - Kira, Kira... Oxigênio, preciso de oxigên...

Ashia começava a ficar atordoada, apesar de Kira não perceber nada, e continuar com a investida afetuosa ao extremo. Só foi largando o corpo da garota quando percebeu que ela começava a desmaiar e foi caindo junto com ela.

Kira: - Ei, Ashia, Ashia, fale comigo... Terra para Ashia, Terra para Ashia, responda!

Mizuki estava vendo várias coisas aleatórias em movimentos elípticos e ia tentando responder a voz de Kira, apesar de não conseguir visualiza-la nitidamente.

Mizuki; - Eu, eu... Estou, eu... Doendo...

Miroku olhava aquilo com um olhar de total temor. Ele sempre tivera medo daquelas manifestações ruidosas de alegria, as vezes até mais do que de coisas que realmente deveriam assustá-lo. Mas algo conseguiu desviar sua atenção da situação da amiga.

Miroku: - OMGGGGGGGG!!! BRASIL, você só pode estar de brincadeira!!!

E ele lia algumas observações na parte inferior da folha, em que constava “na região amazônica”.

O desânimo que já era constante naquele garoto, começava a se tornar revolta, ele queria fugir daquilo de qualquer forma, mas o olhar do severo Isaías não parava por um segundo de sondá-lo ameaçadoramente.

Miroku: - Aff... Já fui para o Brasil, agora pelo menos poderiam enviar uma mulher comigo, PQP...

Mas antes que pudesse alimentar o mínimo sentimento de esperança, viu que Juliette estava acenando negativamente com a cabeça para ele. O que fez com que ele ficasse ainda mais puto.

Miroku: - Deus, tenha piedade...

E logo após dizer tais palavras recebeu alguns toques em seu ombro, que visavam chamá-lo.

Tsuna: - Affs, eu saí com você...

O garoto também não parecia nem um pouco animado. Franzia a testa e esboçava um bico, seu mau humor era totalmente visível. Havia notado que de alguma forma os dois tinham se ferrado. Mas antes que pudessem trocar mais algumas palavras...

Tuxo: - Hmm... Enfim vocês ficarão sozinhos hein Miroku, dê o seu melhor XD XD XD. Mostre todo o seu potencial^^

A vítima da brincadeirinha estava bufando de tanta vontade de avançar no garoto sorridente, e se segurava como podia, o que gerava uma satisfação infinita em Tuxo, algo totalmente prazeroso e estranho.

Miroku: - Matar, matar...

Enquanto Miroku tentava se segurar, visivelmente mudando de cor e perdendo a razão, Tsuna olhava para ele com um olhar de desconfiança e dava alguns passos para o lado, apenas pare se garantir. Tinha ficado assustado com a afirmação inesperada de Tuxo sobre seu novo "colega de missão"...

Juliette ria bastante da desgraça de todos os presentes, até que percebeu um olhar
provocante em sua direção, o que passou a lhe incomodar bastante.

Juliette: - O que foi agora Tuxo?...

Ela esperava ansiosa por uma resposta. Respeitava bastante Tuxo, mas tinha bastante medo da mente doentia do garoto, que conseguia assustá-la as vezes, sempre surpreendendo-a.

Tuxo: - É que eu estava pensando... Eu, você... Itália, escurinho...

Crescia em Juliette um sentimento complexo... Ela não sabia se deveria se sentir feliz, por estar sozinha com ele, e ter a possibilidade de relações sem compromisso, que ela tanto adorava, ou se havia se metido na maior fria do mundo e deveria dar um jeito de sumir de vez...

Tuxo se aproximava dela cada vez mais, com um olhar meio bobo e apaixonado, enquanto ela ia se afastando na medida do possível, desesperada...

_____________________________________________________________


Cap 2


Passaram-se quatro anos, desde que as crianças haviam sido enviadas para seus emocionantes destinos, para que pudessem treinar (Sim, Isaías REALMENTE acreditava nisso^^) e se tornassem merecedores das armaduras douradas. Armaduras que os tornariam soldados de alto-cargo (forma disfarçada de dizer que se tornariam responsáveis não só pela segurança, mas também a outras formas de prestação de serviço à jovem princesinha^^). Ou seja, não seriam apenas jovens com armaduras de seres ou objetos carnavalescos random, estariam na parte de cima da hierarquia dos cavaleiros. Por mais que se sentissem explorados em um ponto haviam de concordar, os que estavam abaixo deles, eles sim estavam ferrados...
Agora não eram mais aqueles moleques catarrentos que haviam sido enviados, em média com seus 12 anos. Haviam se tornados mocinhos e mocinhas, estavam agora enquadrados na condição de adolescentes, ou “aborrecentes”, como acabou ficando conhecida posteriormente. Hormônios suficientes, somados à mentalidade absolutamente autista de crianças que demorariam a perder. Estavam reunidos novamente na mansão, se reapresentando ao velho árabe rabugento que insistia em nunca mudar seu humor altamente desagradável. Foram chegando aos poucos, alguns demoraram mais, ou por motivos de distância, imprevistos, ou apenas devido à vontade de retardar ao máximo o encontro com aquele estrangeiro que nunca entenderam de onde surgiu.

Quando já estavam todos reunidos, depois de algum tempo assistindo a um monologo de Isaías, um discurso altamente maçante, onde ele propagava imagens viajadas e idealizadas de cavaleiros e aproveitava pra deixar claro seus poucos direitos e principalmente suas milhões de obrigações.
Depois do “momento Isaías” ficaram o resto do dia na mansão da família de Sakura e viajariam na manhã seguinte para a morada ultrapassada, “conservada” pelo tempo, mais conhecida como “Santuário”.Que seria uma espécie de QG da família da garota, composto por 12 “casas”, cada uma entregue a um dos jovenzinhos cuja missão seria defendê-la com suas vidas e proteger a pentelha e seu agregado.

Tiveram alguns momentos de descontração onde alguns expressaram suas experiências no treino.

Mateus: - Maldito Guilhermin, ele matava a maioria dos treinos e o sensei descontava tudo em mim!!!

Guilhermin: - Mas eu estava com fome...^^

Mateus: - Você tem fome o dia todo?!!!

Guilhermin: - Claro que não. Não tenho fome quando estou dormindo... Acho... XD XD

Mateus: - Affs...

Enquanto alguns olhavam Guilhermin com cara de desaprovação ou desânimo, outros riam bastante, como era o caso de Kira e Mizuki... Mateus estava desconsolado e decidiu puxar conversa com outra pessoa para tentar esquecer de sua experiência traumática.

Mateus: - Ei Miroku, como foi o treino de vocês no Brasil?

Pergunta inocente mas que tocava na ferida de Miroku que rapidamente mudava de humor e respondia em tom sarcástico e revoltado.

Miroku: - Caso jacarés mutantes resolvam invadir o santuário e papar nossa senhorita, acho que estamos bem preparados...

Enquanto a maioria ria da desgraça de Miroku, chegando alguns a cair no chão em gargalhadas, como Rael, Tsuna foi se aproximando e adentrando na conversa.

Tsuna: - O Brasil foi dominado... Agora vamos rumo a Plutão... XD Conquistar é preciso^^

Miroku: - Idiota...

Tsuna: - Que mau humor Miroku... Só porque descobrimos que você é alérgico a picadas de insetos e ficou todo empoladinho? XD

Todos riam um bocado enquanto Miroku segurava-se para não pular no pescoço do companheiro de jornada.

Miroku: - Cara, porque eu não deixei aquele jacaré te comer...

Tsuna ignorava o comentário do amigo e ficava soltando outras histórias de suas aventuras na Amazônia, que comprometiam cada vez mais a imagem do amigo.

Kira: Coitadinho do meu maninho... XD

Kira tinha costume de chamar Miroku assim, apesar de não possuírem laço sanguíneo algum. Era apenas um apego, pela simples afinidade.

Mateus: - E você Kira?

Kira empolgava-se totalmente com a pergunta em relação a sua viagem.

Kira: - Noooooooossa foi tãããããão legal!!!^^

Mizuki começava a ficar vermelha repentinamente sem que os outros entendessem.

Miroku: - Que foi garota Mizuki?

Mizuki estava bem sem graça e foi soltando as palavras vagarosamente, de forma custosa.

Mizuki: - É que, é que...

Mas antes que pudesse dizer qualquer coisa foi atropelada pelas palavras da parceira.

Kira: - Nós fizemos váááááárias compras, e eu fiz a Mizuki vestir um monte de roupinhas kawais!!! XD

Mizuki: - Era isso...

Guilhermin: - Que que tem moça?

Mizuki mudava rapidamente de humor e agora estava revoltada e aumentou um pouquinho tom de voz.

Mizuki: - Como alguém que vai dominar o mundo pode ficar se vestindo de coelinha?!!!

Todos olharam assombrados. Mas o assombro de alguns logo virava chacota...

Mizuki: - E pior... Coelinha amarela...

Antes que Mizuki pudesse completar sua reclamação Kira já estava em seu pescoço abraçando-a fortemente, apertando a garota com uma força assustadora, mas de forma bem carinhosa.

Enquanto isso Kamui estava desconsolado vendo que a irmã havia ficado tão próxima de sua amada ao longo da viagem. Sentia-se pequeno e queria descontar tudo em alguém. Olhando para o lado viu Tuxo perdido em pensamentos random.

Kamui: - Você foi o escolhido, prepare-se...

Tuxo, que estava totalmente avulso a realidade, virou-se para Kamui e demonstrou uma estranha animação.

Tuxo: - Vou ganhar um prêmio? XD

Kamui: - NOOOOOOOOOOOOO, IDIOTA!!!

Kamui estava emputecido com a reação inesperada do garoto. Ele perdia a paciência quando as pessoas não entendiam suas intenções, mesmo que elas fossem bem complexas para qualquer pessoa normal. Mas ele se sentia ofendido, alguém teria que pagar, sua maldade não poderia ser questionada... Mas antes que ele pudesse pensar em alguma forma de banir o garoto do mundo, foi interrompido por Rael.

Rael: - Ei Kamui que pose estranha é essa? Isso não te envergonha? XD

Kamui: - Maldito, alguém me salve dessa praga!!! Não agüento mais!!!

Rael ficava mais animado ainda com o desespero alheio, e começava a esboçar umas tentativas de abraços em Kamui, que o repelia e entrava cada vez mais em estado de pânico.

Rael: - Mas Kamui, nós somos melhores amigos agora, não? XD

Antes que Kamui explodisse, Miaka foi dar apoio a ele. O que acabou não causando o efeito esperado...

Kamui: - Ai caramba!!!

Miaka: - Ops...^^

Miaka ainda não tinha completo domínio sobre os poderes adquiridos recentemente e quando não conseguia se conter tinha a mãe mais fria de todo o globo, capaz de causar arrepios no mais durão dos homens.

Kamui: - Miaka do céu, o que diabos é isso?!

Miaka: - Sorry senpai!!! Eu, eu...

E a garota começava a chorar em prantos de forma escandalosa e perceptível para todos. Um choro típico de garotinhas, que despertava a compaixão de todos os presentes, independente da personalidade.

Kamui: - Ei Miaka, não fique assim, não quis brigar...

Guihermin e Mizuki: KAMUIIIIIIIIIII!!!

E começa um estrangulamento em conjunto onde Kamui resistia com todas as forças ao ataques dos dois que não conseguiam dominar o garoto e a disputa tendia à eternidade... Enquanto isso Juliette e Tuxo conversavam com Kiri calmamente.

Juliette: - Então Kiri, gostei dessa sua habilidade...

Tuxo: - Ela é muito cool Kiri, mostra, mostra! XD

Kiri exitou por alguns instantes, mas logo cedeu a vontade dos amigos.

Kiri: - Lá vai...

Em alguns segundos Miroku e Rael que estavam rindo freneticamente da desgraça de Kamui foram erguidos no ar, perdendo o contato com o chão devido à estranha habilidade psíquica da garota. Enquanto Miroku estava assustado com o estranho acontecimento totalmente anormal Rael estava bastante emocionado.

Rael: - I can fly!!! Esperei tanto por esse dia!!! XD

Miroku: - Oh my God... Isso não é coisa de Deus...

Juliette e Tuxo discutiam algo em baixo tom com Kiri em meio a risadinhas até que a garota acenou calmamente com a cabeça, em tom afirmativo, e assumiu uma pose diferente, movimentando os braços, sempre com a fisionomia séria e distante.

Kira: - Ele mesmo então, não é?... Sorry Miroku...

Juliette: - Isso vai ser bom...^^

Tuxo: - Com certeza!!! XD

E logo após um movimento brusco, seguido de um pequeno balbuciar de palavras Miroku que estava em repouso no ar, é lançado aceleradamente por uma das janelas da sala da mansão assumindo uma velocidade impressionante e um paradeiro desconhecido. O certo é que a queda não seria nem um pouco agradável, independente de onde fosse. Sua poupança iria doer bastante por alguns dias...

Miroku: - WTF?!!!!!!!!!!!!

No momento que perceberam o lançamento do companheiro as reações foram diversas mas todos pararam o que faziam e ficaram perplexos com a habilidade nova da amiga.

Guilhermin: - Eu aposto que ele ultrapassa o lago! XD

Tuxo: - Sem chance, a resistência do ar não permitiria isso...^^

Juliette: - Acredito que sim^^. Mas vamos apostar quanto?! Estou meio quebrada depois da viagem... Fiz umas comprinhas em excesso XD

Tsuna: - Sei lá, mas eu guardo a grana...

Rael: - Nossa, essa vai doer, ainda bem que não fui eu XD

Kamui: - Affs, se fosse pra mandar, porque não mandou os dois?!!!...

Mateus: - Cara, coitado do Miroku...

Kira e Mizuki: - Miroku-kuuuuuuuun!!!

Miaka: - Kiri, você é tão legal! XD

Kiri não esboçava a menor pena com o garoto lançado aleatoriamente por seus poderes... E Miroku continuava voando desesperado, rezando pra não cair em nada que comprometesse ainda mais sua situação...

Próximo capítulo : Invasão ao santuário – Mensageiros de Hades – Serenidade x Autismo – Mateus e Tsuna em ação!

________________________________

CDZ - FA version^^ 24q1q43

"Num momento crucial um sábio soube saber
que o sabiá sabia assobiar
E quem amafagar os Mafagafinhos
bom amafagafinhador será..."
Miroku-sama
Miroku-sama
Stalker
Stalker
Masculino Áries
Número de Mensagens : 5
Reputação : 0
Idade : 30
Data de inscrição : 25/12/2009
Localização : BH city

CDZ - FA version^^ Empty Re: CDZ - FA version^^

em Ter Dez 29 2009, 19:24
Cap 3



Haviam se passado alguns meses de ócio e calmaria no Santuário. Os jovens preenchiam o tempo de diferentes formas naquele recinto antigo e sem muitas opções de lazer ao qual estavam presos. Uns (Miroku?^^) treinavam arduamente visando controlar seu lado emo e descontar sua fúria interior nas pilastras (que não precisavam de muita ajuda para serem derrubadas), outros (Ashiya...) liam freneticamente trilhões de livros e mangas, alguns (Gui XD) preferiam ficar nerdando em seus computadores que haviam trago junto de si, outros (Juliette XD XD XD) aperfeiçoavam suas técnicas de sedução e pegações... O que importa é que independente se estavam tendo de servir de babá para a princesinha, ficavam meditando ou fazendo trabalhos braçais, nenhum deles havia sido posto a prova e exercido a função de seguranças exemplares da família. Mas essa vida de muito tempo vago e mordomias estaria prestes a acabar... Ou não...

- Enfim chegamos... Santuário de Athena, o local onde as páginas de meus feitos épicos começarão a ser escritas... Que...

- Você e esse blá blá blá dinovo...

- Sua sem graça, sempre estragando minha entrada triunfal!!!

- Fico me perguntando o que fiz para merecer uma dupla tão estúpida...

- O QUE DISSE?!!!

A conversação se dava alguns metros da primeira casa do santuário, defendida pelo cavaleiro de Mateus do signo de Áries. Parecia uma construção japonesa medieval, ampla e de pouca coloração, adaptações que provavelmente haviam sido promovidas pelo seu novo proprietário. Ela era o início do longo trajeto que dava acesso ao salão de onde a pseudo-Athena impunha seu regime fascista júnior, submetendo seus cavaleiros a qualquer atividade que lhe viesse à cabeça, desde servir de cavalinho até serviços de beleza e entretenimento. Havia um caminho mais cômodo, um teleférico que levava diretamente ao topo da montanha em que se situava o santuário, chegando assim rapidamente à presença da pequena mestra. Mas como ele já estava interditado há algum tempo, por mau funcionamento, e barrado pelo governo por ser considerado como ameaça à população, o jeito era subir da forma mais primitiva. O que prejudicava bastante o turismo da região, mas contribuía para a saúde dos visitantes forçando-os a se exercitar escalando inúmeros degraus em um sol escaldante e para conferir alguma função aos jovens que eram deixados no vácuo quando qualquer um optava pelo meio de transporte tecnológico.

Os dois continuavam a andar, aproximando-se cada vez mais da casa de Áries e percebia-se um monólogo infinito de um dos presentes, que insistia em narrar cada passo que realizavam imprimindo um caráter desbravador e único àquela expedição. Porém logo foram interrompidos por dois jovens que bloqueavam a entrada da casa.

- Quem são vocês?...

-Ora ora, temos convidados!

Um dos jovens estava sem sua armadura, apresentava traços orientais e olhava fixamente para os dois seriamente aguardando uma resposta. O outro tinha um sorriso assustadoramente expressivo em seu semblante e tentava manter uma pose séria, apesar de estar explodindo de emoção por dentro.

- Quem somos nós... HOHOHO, que pergunta mais engraçada...

- VOCÊ É O PAPAIL NOEL?!!!...

- WTFFFFFFFFFFFFFFFF???!!!

Enquanto o homem orgulhoso começava a se contorcer, esbravejar e soltar palavrões de todas as línguas em todas as direções a garota que o acompanhava ficava se lamentando, com vergonha da postura de seu parceiro.

- Não Tsuna, é bem provável que ele não seja o bom velhinho...

- COMO ASSIM???!!! COMO OUSA ME ENGANAR!!!

Mateus havia desistido de convencer o amigo que insistia em uma idéia totalmente maluca e sem lógica alguma. Suspirava com uma cara de desânimo e voltava a fitar os dois andarilhos trajados em armaduras escuras sombrias.

Mateus: - Então... Qual a resposta de vocês?...

Tsuna: - SIM!!! ME DEIXARAM FURIOSO, NINGUÉM ME ENGANA DESSE JEITO!!!

A garota ensaiava uma resposta quando foi atropelada pelo homem, que de alguma forma havia se acalmado, assumia a pose refinada novamente e em um tom bem calmo e suave voltava a se pronunciar.

- Como estava dizendo, antes de ser grosseiramente interrompido... Eu sou Guilbert um dos...

Tsuna: - GUIIIIIIIIIIIIIIIIIIIILBEEEEEERT???!!! PQP, como uma mãe tem a coragem de fazer isso com um filho!!! Eu te perdôo papai noel impostor, eu entendo a sua dor!!!

Lágrimas caíam aos montes dos olhos de Tsuna enquanto ele abraçava Mateus com todas as forças, contra a vontade do amigo, buscando se consolar depois da triste revelação acerca da vida do homem que vinha lhes visitar.

Mateus: - Tsuna, você não está ajudando...

Guilbert havia tido mais um acesso de fúria, sua face já havia transitado entre umas cinco cores distintas e ele punha a mão na nuca apertando-a com um desespero tremendo.

Mateus enfim havia conseguido se desvencilhar do super emotivo companheiro e voltava seu olhar para a garota, fitando-a diretamente nos olhos esperando uma explicação. Diferente de Tsuna sabia que aqueles dois provavelmente não seriam simples cobradores de aluguel, decoradores ou moto-boys trazendo uma pizza quentinha...

- Somos espectros de Hades, viemos eliminar sua soberana para que nosso contratante possa assumir todos os bens da família Ibari. Era isso...

Guilbert: - Agome sua estraga prazeres!!! Nunca se revela uma informação assim de forma tão direta! Primeiro temos que enrolar bastante, dar várias voltas, formar um suspense e só dizer no momento clímax sua idiota... É nesses momentos que são diferenciadas as pessoas com classe das sem-classe, que decepção!

A garota que tinha um rosto belo e delicado logo assumiu uma expressão monstruosa e fitou ofensivamente, de maneira macabra, o companheiro que logo engoliu o que quer que tivesse para falar e quase sujou sua cueca azul piscina. Depois de demorar longos segundos para se recompor assumiu novamente o controle do discurso e completou.

Guilbert: - Como dizia... Sou Guilbert e essa é minha companheira Agome. Somos os espectros de Papyllon e Harpia respectivamente e viemos em missão em nome do nosso mestre Hades. Considerem-se bem azarados...

Mateus: - Então era isso... Eu sou o cavaleiro guardião dessa casa, terão que me derrotar se quiserem prosseguir...

Mateus mesmo sem armadura estava sereno bloqueando o caminho dos invasores, no topo da escada que dava acesso à casa de Áries. Tsuna por sua vez após ouvir as palavras do colega ia andando em direção aos dois inimigos com um sorriso estampada na face e uma expressão mais séria e empolgada.

Tsuna: - Matar, matar... Vocês não passariam nem pelo Mateus e olha que ele nem gosta de brigar!!! Vou mandá-los mais cedo para casa... Se existe alguém que vai dominar essa joça, esse sou eu!!! Seus aparecidos em trajes roxo escuro!!!

Guilbert: - Interessante, vamos ver do que é capaz rapazinho...Mas não vale chorar depois...

O deslocamento de Tsuna que era pausado logo se transformou em uma marcha acelerada em direção aos dois adversários, ele ia a uma velocidade impressionante e pesada transformando em poeira todo o terreno que pisava em uma investida poderosa capaz de sobrepujar qualquer defesa.

Tsuna: - SUPER DUPER HIPER DESTRUIDOR DE MUNDOOOOOOOS!!!

Mateus: - Porque tinha de ser um nome tão grande?! Aff!!!

Tsuna havia atravessado o terreno até onde os dois se encontravam e aplicado um soco devastador visando atingi-los. Uma grande área havia sido sofrido o impacto do golpe que levantou um volume imenso de fragmentos de rochas abrindo uma enorme cratera nas redondezas e espalhando uma quantidade elevada de poeira que impossibilitava qualquer visibilidade dos inimigos ou de seu corpo.

- Menos um...

A fumaça ia se dissipando e duas sombras iam se dirigindo ao local onde Mateus permanecia imóvel e impressionado com o que havia ocorrido. Não exitou, invocou sua armadura e após vestir o traje rapidamente logo começou a fazer alguns movimentos rápidos com as mãos, se preparando para utilizar alguma técnica especial.

Mateus: - Como isso foi ficar tão complicado...
_______________________________________________________________



Cap 4



As duas sombras continuavam se aproximando mais e mais de Mateus, que pressentindo que o ataque era iminente já conjurava uma de suas principais técnicas.

- ILUSION WALL!

Em questão de segundos a casa de áries estava completamente isolada por paredes espelhadas gigantescas, de coloração bastante heterogênea, combinando vários tons diferentes e belos.

- Não permitirei que atravessem esta casa...

As imagens humanas, agora cada vez mais claras na medida em que a poeira se dissipava, apresentavam aspectos faciais diferentes bastante contrastantes.

- Droga Agome! Você precisava ficar se mostrando dinovo! Estava tudo sobre controle, ele estava em minhas mãos poxa!!!

- Nas suas mãos?! Você tem algum problema, só pode... Se eu não lhe tiro do chão naquele momento era adeus engraçadinho!

Guilbert havia conseguido tirar a garota do sério e ele insistia em ignorar a intensidade do ataque desferido pelo inimigo, que havia modificado bastante o cenário nas proximidades dos combatentes. Era difícil acreditar que um moleque resmungão daqueles quase mandara d vez os dois para o outro mundo, apenas com um ataque, e que ele não tivera ação perante o poderoso golpe.

- Mais importante que lamentar... Você já percebeu que estamos presos?

- Droga, é mesmo! Aquele pirralho bloqueou nossa passagem, mas essa barreira nem deve ser grande coisa...

Guilbert em uma arrancada impressionante ultrapassou o garoto em direção à casa de áries, visando atravessá-la da forma mais simples e rápida. Não demorou muito para ele atravessar o cenário de temática japonesa que caracterizava a moradia do jovem Mateus, mas quando estava quase no final...

- FUUUUUUUUUUUUUUUU!!!

- Cara, essa não é uma boa idéia...

O homem quando achara que havia conseguido concluir parte de sua tarefa, ao entrar em contato com a superfície espelhada do final da casa, havia sido transportado novamente para o ponto inicial da casa, local onde se encontrava anteriormente...

- O QUE DIABOS FOI ISSO?!!!

- É uma barreira idiota! Não é algo que possamos simplesmente atravessar, dãr!

Mateus suspirava impressionado com ingenuidade do inimigo, mas não perdia o foco em relação à batalha, era seu dever impedir que aqueles dois avançassem... Algo que lhe preocupava era a respeito do paradeiro de Tsuna, o desfecho daquela investida havia sido bastante estranho, ele estava confuso.

- Se só poderemos passar depois de eliminar esse pirralho eu vou acabar logo com isso! Mesmo que seja para poupar um pouco o escritor, que deve estar ficando puto pelo fato da batalha nessa casa estar demorando tanto!

- Ele está passando um enorme vexame e ainda assim fica se preocupando é com a condição física do escritor, Deus do céu...

Uma quantidade muito expressiva de cosmo de coloração alaranjada era concentrada nas grandes asas da armadura de Papyllon, que começavam a brilhar intensamente e a pulsar em sintonia com a vontade e esforço de Guilbert.

- RAJADA CÓSMICA DE PAPYLLON!!!

Após proferir essas palavras o guerreiro se erguia no ar, planando por alguns segundos e batendo as asas com força e velocidade assustadoras, gerando uma corrente de ar misturada com cosmo que varria tudo o que se encontrava em seu caminho, causando um barulho ensurdecedor.

- Nada mal...

Mateus em uma fração de segundos fez mais alguns movimentos com os braços, levando-os finalmente de baixo para cima em um movimento ascendente que fez com que uma barreira sólida e espessa se formasse diante dele, barrando qualquer efeito gerado pelo furioso ataque do inimigo...

- Velho isso só pode ser brincadeira... TEM ALGUMA COISA QUE ESSES ESPELHOS NÃO FAÇAM?!!!

- Agora que você perguntou, eu reparei que eles não refletem as imagens postas diante deles, interessante...

- Sim, sim, são espelhos especiais.

Guilbert estava em um momento de crise profunda. Não bastava o fato de os golpes criados pelo escritor para Mateus serem invencíveis, mas ele ainda tinha que ficar aturando sua parceira dialogando amistosamente, bastante interessada nas habilidades do inimigo. Isso era demais para ele!

- Agora é a minha vez... Não posso ficar rendendo luta por todo o sempre, eu tenho os meus afazeres.

- ELE AINDA VEM TIRAR ONDA COM A MINHA CARA!!! INSOLENTE, VOU ACABAR COM VOCÊ DE UMA VEZ POR TODAS!!!

Agome reparava impressionada na quantidade e intensidade de cosmo concentrados nos punhos do jovem garoto oriental, que se preparava para desferir um ataque ofensivo com toda a certeza. Guilbert ignorava o fato e partia desesperado para cima do inimigo, sem qualquer plano ou idéia em relação ao que iria fazer. Aquela postura fidalga e irônica havia sido descartada enfim e ele parecia um animal furioso partindo rumo a uma batalha que não poderia vencer.

- SHURIKEN REVOLUTION!!!

Após bradar tais palavras uma infinidade de shurikens dourados surgiram da mão do garoto e foram desferidos com uma velocidade suprema em direção ao inimigo, fazendo-o sumir em meio à quantidade e brilho intenso que cada um deles possuía. Era uma rajada devastadora, que ao entrar em contato com o adversário partiu facilmente toda a sua armadura, lançando-o violentamente contra uma enorme barreira rochosa a alguns metros atrás de onde ele se encontrava. Guilbert estava coberto de sangue que deixava seu corpo por inúmeros cortes causados pela técnica do inimigo. Havia ficado inconsciente e caiu no chão depois de transcorrido certo tempo.

- Sinto muito, a senhorita é a próxima...

Agome se preparava para duelar com aquele que havia massacrado seu parceiro em um piscar de olhos. Estava nervosa, mas tinha bastante confiança em suas habilidades e um orgulho que a impediria de fugir de qualquer combate, por mais complicado e desfavorável que ele pudesse ser. Mas enquanto concentrava seu cosmo para começar a disputa percebeu uma aproximação por trás dela, uma presença já conhecida e que se ela pudesse escolher não gostaria que reaparecesse naquele momento.

- Mateus, Mateus... Sempre me surpreendendo! É por isso que você está na lista de pessoas a compor meu exército de dominação global!!!

Tsuna havia enfim retornado. Apesar de ter sido dado como derrotado ele não estava morto, nem ao menos impossibilitado de continuar. Mas havia ficado inconsciente após aquele momento do ataque e o pior é que nem foi em decorrência de uma ação do inimigo... O impacto de seu próprio ataque o havia deixado inconsciente, além de enterrado e preso no meio de rochas bastante firmes do subsolo, que havia atravessado com seu poderoso punho.

- Você está bem... Fico feliz Tsuna.

- Como eu não poderia estar?!... Eu sou o cara velhinho!!! Mas às vezes sou traído pela minha própria força, acontece com todos os heróis do meu nível!

- Se é o que você diz...

Agome estava bastante preocupada. Não estava em seus planos ter de mostrar seu poder tão cedo, ainda mais lutando contra dois cavaleiros de ouro de uma só vez... No final das contas os demais companheiros estavam corretos, Guilbert era um inútil que só sabia se gabar, abandonara ela sozinha contra dois marmanjos em território inimigo.

Tsuna estava prestes a avançar contra a garota de vestes negras e armadura escura quando percebeu sua mão bloqueada por uma pele delicada que se opunha à qualquer movimento em relação à adversária. A pessoa em questão era uma garota de longos cabelos negros e encaracolados, com um corpo bastante atraente e vestes um tanto quanto provocantes.

- Mudança de planos... Caso queiram eliminar essa garota vão ter de passar por cima do meu cadáver.

________________________________

CDZ - FA version^^ 24q1q43

"Num momento crucial um sábio soube saber
que o sabiá sabia assobiar
E quem amafagar os Mafagafinhos
bom amafagafinhador será..."
Sakuragome
Sakuragome
Administrador
Administrador
Feminino Libra
Número de Mensagens : 4879
Reputação : 98
Idade : 33
Data de inscrição : 07/12/2008

CDZ - FA version^^ Empty Re: CDZ - FA version^^

em Qua Dez 30 2009, 16:28
Aeee \o/ Espero que encontres mais personagens ^^ Aqui tem vários =s

________________________________

===========================
CDZ - FA version^^ AmigodePaacutescoaAg_zps21fd7472


Spoiler:


CDZ - FA version^^ Toradora-Minorin

Obrigada filinho Noob <3


CDZ - FA version^^ 140320011809140816 Minha querida família  ♥️

CDZ - FA version^^ 140320051516551654 Forever *-*

Spoiler:
CDZ - FA version^^ Yuuko_sign


CDZ - FA version^^ Sakuragome_sain5

Muchas gracias maninhos *---*
Miroku-sama
Miroku-sama
Stalker
Stalker
Masculino Áries
Número de Mensagens : 5
Reputação : 0
Idade : 30
Data de inscrição : 25/12/2009
Localização : BH city

CDZ - FA version^^ Empty Re: CDZ - FA version^^

em Qui Jan 21 2010, 16:35
Olha que eh uma ótima idéia^^. Vou pensar nessa possibilidade XD

________________________________

CDZ - FA version^^ 24q1q43

"Num momento crucial um sábio soube saber
que o sabiá sabia assobiar
E quem amafagar os Mafagafinhos
bom amafagafinhador será..."
Conteúdo patrocinado

CDZ - FA version^^ Empty Re: CDZ - FA version^^

Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum