Compartilhe
Ir em baixo
aoi-chan-girl
aoi-chan-girl
Iniciante
Iniciante
Feminino Peixes
Número de Mensagens : 7
Reputação : 0
Data de inscrição : 24/11/2008

capitulo IX Empty capitulo IX

em Dom Dez 07 2008, 21:09
CAPITULO IX

Por fim,como era de se esperar, ele voltou a vagar...
Com a morte de San,que agora reinava entre as recordações de séculos atrás,outro de seus tantos dissabores,mais insípida se lhe mostrara sua sobre vida.já não o cobriam as mesmas vestes e ornamentos de outrora,os tempos eram absolutamente outros...
Era realmente surpreendente como tudo estava tão mudado e ao mesmo tempo parecia tão igual.
A dor infringida pela imortalidade só era comparável a dor que antes tanto lhe fez sofrer:a consciência da morte.
Da mesma maneira com seus olhos de mortal observava a tudo e a todos a sua volta e lhe parecia incompreensível como todos seguiam em suas vidas adormecidas disfarçando com pinceladas do falso o que se podia ver da pintura real.
Agora não mais ele tinha fim, mas tudo a sua volta era um eterno findar ,um definhar horrendo...
Antes , quando mortal,não encontrava estímulos para e criar mais nada, ou buscar , ou sentir...pois já que tudo estava mesmo fadado ao fim, de que lhe valiam apegos, desejos , ilusões?Parecia mesmo incompreensível que todos andassem nas ruas , tranqüilos,absortos em sua cotidiana rotina,ignorando om fato de que iam morrer, e que tudo o que conhecem também ia morrer, se transformar ou o que seja(..)o fato ´e que no mundo todo,sentia como se somente ele tivesse real consciência da real finitude da existência.
Tantas atitudes.. tantos pecados e apegos eram notadamente inúteis... estavam realmente todos cegos...e estava tão cansado daquele penoso teatro... já ñ conseguia mais desempenhar seu papeu naquele circo de horrores...como que por castigo-e por certo que o seria ele o tomava-justo ele , ao contrário de todos os outros que agora pertenciam ao solo e a este passado longícuo, agoniza em sua infinitude.
A eternidade torna possível a percepção de coisas impossíveis de se perceber na curta vida humana.a agonia e o desespero de lidar com isso só, sem ninguém com quem compartilhar,torna tudo um pesadelo mais medonho, um fardo por demais pesado para ser carregado,além de crescente a cada século.
Além disso , as coisas não simplesmente morriam,eram tomadas por uma lenta degradação antes disso.por certo sempre fora assim.. mas mais que nunca isso agora lhe feria lhe torturava...estava nítido que o mundo se tornara cada vez mais insuportável, opressor...com o ar mais denso, as paredes mais apertadas, incurralante, sufocante, insípido,eram as palavras que lhe inspirava o mundo
O mundo, e não só ele,as pessoas. O mundo parecia mesmo com o que Bártoli lhe disse: uma sopa de caldo negro onde borbulham e fervem as pessoas...
Apressou o passo queria chegar antes da meia noite no sanatório...encontrar Bártoli sozinho.
Voltar ao Topo
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum